“As histórias pertencem aos leitores”: uma conversa com Fábio Moon e Gabriel Bá

Essa dupla de quadrinistas resolveu assinar seus trabalhos em conjunto e colocou a autoria em segundo plano. Para Fábio Moon e Gabriel Bá, o que vale são grandes histórias. E as HQs dessa dupla estão voando longe! Se você é fã de histórias em quadrinhos e ainda não conhece o trabalho dos paulistanos Fábio Moon e Gabriel Bá, está na hora de rever suas referências. Os gêmeos da HQ são cartunistas importantíssimos na cena atual. E não só aqui no Brasil! O livro mais recente da dupla, Daytripper, foi lançado pelo selo Vertigo em mais de 10 países. A obra chegou a aparecer na lista de quadrinhos mais vendidos do New York Times. Além disso, os irmãos já receberam um Prêmio Jabuti, na categoria “Didático, Paradidático e Ensino Fundamental ou Médio”, pela adaptação de O Alienista, de Machado de Assis, e um Prêmio Eisner por Daytripper. Em agosto, esta dupla […]

» Leia mais

O Estímulo à Leitura

Ivan Maciel de Andrade Advogado Algumas das mais importantes obras literárias – talvez grande parte delas – exigem um tipo de leitor afeito a uma linguagem mais sofisticada do que aquela usada pela imprensa ou em best-sellers. E também que seja capaz de não se intimidar com as técnicas de criação inovadoras. Esse leitor deve ter, de preferência, boa iniciação literária e precisa de ampla disponibilidade de tempo, roubado às ocupações diárias. E que não se pense haver exagero, mas ele deve contar também com as condições que possibilitem o isolamento para efeito de longas concentrações. Então, no mundo da internet de hoje, em que a simples e cotidiana conversa entre amigos e familiares se torna difícil ou inviável pelo uso obsessivo de smartphones e outras parafernálias, se afigura utópico imaginar que esse perfil de leitor qualificado e seletivo seja fácil de encontrar. Acresce que há melhores condições dele surgir […]

» Leia mais

Retratos da Leitura no Brasil – mais reflexões

A pesquisa Retratos da Leitura no Brasil que tem por objetivo avaliar o comportamento do leitor brasileiro, em sua última edição, a 3ª, divulgada há quase dois anos em 28/03/2012, volta a ser comentada por nós por sua repercussão positiva no esforço de incentivo à leitura. Seu resultado aponta que a média de leitura do brasileiro é de 4 livros por ano, sendo apenas 2,1 livros até o fim. Triste notícia se não fosse uma pesquisa, pois como toda pesquisa é apontamento para análise e repercussão. Certo é que o governo iniciou discussões e levantamentos de novos projetos para tentar sanar este problema, porque como afirmou a ministra da Cultura, Ana de Hollanda, presente na abertura do Seminário com o mesmo título da pesquisa, “A leitura, quando vai além do livro didático, vai permitir a formação do cidadão, vai dar ao cidadão as ferramentas do conhecimento, permitir a ele desenvolver […]

» Leia mais

Manifesto diz que inovação está no livro físico, não em e-books

DAVID STREITFELD DO “NEW YORK TIMES”, EM SAN FRANCISCO Fonte: Folha de São Paulo (17/12/2013) Ao mesmo tempo em que o universo dos textos impressos encolhe, o livro –ou, pelo menos, algumas de suas características mais conhecidas– revela uma capacidade notável de continuar vivo on-line. Parece que a ideia do livro está tão profundamente enraizada no inconsciente coletivo que ninguém suporta deixá-la para trás. Fã de livro digital admite recaída pelas páginas de papel A Amazon alega que, em seu mais recente e-reader, “as páginas são virtualmente indistinguíveis de um livro físico”. Estantes de livros em salas de estar podem estar virando coisa do passado, mas compre um e-book do iBooks e a Apple prometerá “descarregar livros para sua estante” imediatamente. Algumas funções dos livros físicos que não parecem ter lugar na era digital estão sendo conservadas, mesmo assim. As editoras ainda encomendam capas para e-books, apesar de a função […]

» Leia mais

Hollywood encontra a imprensa de Gutenberg

Não seria legal se você pudesse vender seus PDFs como e-books e encerrar o dia? Antes da revolução do dia 5 de dezembro no Brasil, isso era uma opção viável. As livrarias Saraiva e Cultura vendiam seus PDFs do jeito que estavam. Isso tornava a vida simples para o editor, mas não era bem a melhor experiência para o leitor. Hoje, Apple, Amazon e Kobo exigem que editores submetam seus e-books no formato ePub – que automaticamente adapta o layout do conteúdo ao formato da tela, permite que o usuário escolha a fonte e tamanho, e permite links funcionais. É fantástico para obras de ficção e não ficção básicos (autoajuda, jurídicos etc.). Leia mais no Publish News.

» Leia mais

A AMAZON AINDA NÃO NOS MATOU OU E O LIVRO RESISTE

Salon – Por Laura Miller Para uma indústria cuja obsolescência e morte é anunciada diariamente, o mercado do livro pareceu mais alegre semana passada, na feira BookExpo America. Dadas as recentes frustrações, o que poderia ter acalmado os ânimos dessa indústria notoriamente pessimista? Primeiramente, a velocidade de mudança diminuiu consideravelmente. Vendas de e-books nivelaram entre 20 e 25% do varejo de livros. O fechamento da Borders em 2011 assustou muitos, mas o resultado aparentemente foi um aumento das vendas das livrarias independentes. […] A Associação dos livreiros americanos (ABA), que passou anos perdendo membros nos anos 2000, tem visto agora vários anos de recuperação. […] Em relação aos e-books, não há dúvidas de que vieram para ficar, mas as previsões grandiosas do fim do livro em papel se mostraram infundadas – ou pelo menos seriamente prematuras. […] Uma tendência que recebeu muito algazarra – o ehanced e-book – foi avaliado por mais […]

» Leia mais

O marketing e o merchandiser no mundo digital

PublishNews – Por Camila Cabete A repercussão da última coluna foi muito boa. Muita gente viu que entrar no mundo digital é uma questão de organização e criação das funções necessárias, não é nada de outro planeta, impossível ou desesperador. Paramos em uma parte que acho muito importante, a divulgação da produção. Se você fez tudo certinho até agora, mas parou na parte do envio de conteúdo para as lojas e ficou na frente do computador esperando os resultados, pode continuar esperando sentado. Não adianta pensar na distribuição sem ter foco em promoções e ações de marketing/merchandising. Quem fazia isso “antigamente” era um setor de marketing, que divulgava e fechava as ações com as livrarias e sites, dedicados exclusivamente ao livro impresso. Leia mais no Publish News  

» Leia mais

O e-book no resto do mundo

Os organizadores da Feira do Livro de Buenos Aires me convidaram para uma sessão de abertura do evento. Eles deixaram o tópico completamente aberto, e o que eu decidi fazer foi revisar a história dos últimos 20 anos da mudança digital nos EUA e em outros países de língua inglesa até os dias de hoje. A ideia é que entender como isso aconteceu conosco ajudará a entender o que vai acontecer no mercado deles, em outros mercados de língua espanhola e em outros países e idiomas. Leia toda matéria no PublishNews.

» Leia mais

Clarice Lispector

Clarice Lispector, nascida Haia Pinkhasovna Lispector (Tchetchelnik, 10 de dezembro de 1920 — Rio de Janeiro, 9 de dezembro de 1977) foi uma escritora e jornalista brasileira, nascida na Ucrânia e naturalizada brasileira. Conheça algumas frases da escritora: “Até cortar os próprios defeitos pode ser perigoso. Nunca se sabe qual é o defeito que sustenta nosso edifício inteiro.” “Renda-se, como eu me rendi. Mergulhe no que você não conhece como eu mergulhei. Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer entendimento.” “Minha força está na solidão. Não tenho medo nem de chuvas tempestivas nem de grandes ventanias soltas, pois eu também sou o escuro da noite.” “Que ninguém se engane, só se consegue a simplicidade através de muito trabalho.” “A palavra é o meu domínio sobre o mundo.” “Sou como você me vê.Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania. Depende de quando e como você me […]

» Leia mais
1 4 5 6