De Darwin a Hitler: Ética evolucionária, eugenia e racismo na Alemanha, da Vide Editorial

Disponível em videeditorial.com.br, na Amazon e nas principais livrarias:⠀⠀

• Vide Editorial: http://bit.ly/VideDarwin
• Amazon: https://amzn.to/3weoae6
• Livraria Italo Marsili: http://bit.ly/ItaloDarwin
• Livraria Travessa: http://bit.ly/TravessaDarwin
• Livraria Instituto Borborema: http://bit.ly/IBDarwin
• Livraria Cultura: http://bit.ly/CulturaDarwin
• Livraria Questione-se: http://bit.ly/QuestioneDarwin

A teoria evolucionária em geral e o darwinismo em particular tiveram um impacto tremendo sobre o pensamento alemão desde muito antes do surgimento da ideologia nazista.

Por volta de 1890, tantos biólogos e teóricos sociais haviam tentado aplicar o conceito darwiniano da luta pela existência às dinâmicas da sociedade humana que já se falava, nessa época, de toda uma leva de “pensadores social-darwinistas”.

Também é evidente que a terminologia e a retórica darwinianas impregnavam os escritos e discursos de Adolf Hitler; é, inclusive, uma afirmação comum entre os estudiosos a de que Hitler fora ele mesmo um desses social-darwinistas alemães. É inegável, portanto, que haja uma relação entre o evolucionismo darwiniano e a cosmovisão hitleriana.

Mas a pergunta é: teria Hitler seqüestrado o darwinismo, mantendo- o em cativeiro para a sua própria e malévola filosofia política, ou teria apenas o acompanhado até a concretização lógica dos seus próprios postulados?

Este estudo minucioso do professor e historiador Richard Weikart, Ph.D., da Universidade da Califórnia, responde a essa e a muitas outras perguntas acerca da relação que existiu entre evolucionismo e nazismo, e a que pode existir sempre entre o establishment científico e as altas esferas de um governo totalitário.⠀⠀

Ficha Técnica:

– Dimensões: 16 x 23 cm
– Páginas: 388
– Tradução: Jonathas Ramos de Castro